MD pode chegar a terceira bancada na Assembleia

O otimismo das declarações do membro do diretório nacional do recém-criado Mobilização Democrática (MD), Joceval Rodrigues, foi confirmado pelo deputado estadual Elmar Nascimento, atualmente no PR, e que pode migrar para a nova legenda. Conforme antecipado pela Tribuna, Nascimento apontou, em entrevista a rádio Tudo FM, a expectativa de que a bancada do MD chegue a seis deputados e se torne o maior partido de oposição na Assembleia – e terceira maior bancada. O líder oposicionista no legislativo baiano sugeriu que ele e os deputados Sandro Régis (PR), Bruno Reis (PRP) e Targino Machado (PSC) estariam aproveitando a janela criada com a formação do novo partido para migrar sem requerer o desligamento na Justiça Eleitoral. Dois deputados da base governista também seriam atraídos pela nova legenda, porém Nascimento preferiu não antecipar.

As razões para a migração de parlamentares para o partido nascido da fusão entre PPS e PMN são justificadas pelo incômodo causado pela adesão de parcelas das atuais legendas a base do governo estadual, alvo de críticas dos deputados que tendem a buscar um novo guarda-chuva partidário. “Nós fizemos oposição durante o tempo todo porque foi onde o povo nos colocou. Fisiologismo, para mim, não justifica mudança de partido. Não sou do partido da boquinha. Caso a direção [do PR] decida isso, não nos resta fazer nada a não ser pedir justa causa. Espero até que nos tirem. Não quero sair brigado com ninguém”, apontou o líder da oposição. Para o deputado Sandro Régis, “a possibilidade de migração para o MD é real”. “Nós estamos discutindo e, por ser um partido genuinamente de oposição e que tem como projeto fortalecer as oposições, eu me sinto confortável em participar”, completou Régis.

Além do nascimento com musculatura na Assembleia, a expectativa de que o MD esteja como a maior bancada da Câmara de Salvador também foi indicada por Nascimento. Segundo ele, parte dos vereadores filiados a partidos da base do governo estadual e que apóiam o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), estariam propensos a mudar de sigla para evitar constrangimentos futuros, especialmente na eleição de 2014. Sobre o próximo pleito, o deputado endossou a perspectiva de Joceval Rodrigues, que sugeriu que o MD pleiteie uma vaga na chapa majoritária das oposições, ou até mesmo componha com algum partido que tenha uma candidatura com musculatura no plano nacional, como o PSB. “Se o MD formalizar o apoio a candidatura de Eduardo Campos, é possível que na Bahia façamos uma composição com o PSB”, sinalizou Nascimento. O ainda republicano, entretanto, indicou os nomes da ministra do Supremo Tribunal de Justiça, Eliana Calmon, e o prefeito de Salvador como eventuais ocupantes de cadeiras na candidatura a majoritária de 2014 – a ministra ao Senado e ACM Neto a governador -, porém ambos, em entrevista à Tribuna, frisaram não considerar a hipótese.

Leia também: MD abre janela de filiação e agita bastidores

* Publicada originalmente na Tribuna da Bahia de 23 de abril de 2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: