Wagner aprova medidas propostas por Dilma Rousseff para conter os protestos

Sem falar diretamente com a imprensa, o governador Jaques Wagner avaliou como positivos os pontos elencados pela presidente Dilma Rousseff nos pactos firmados nessa segunda-feira (24/6) em reunião com governadores e prefeitos de todo o país. De acordo com Wagner, “o grande recado das ruas foi acolhido pela presidenta Dilma Rousseff, pelos governadores e pelos prefeitos, que representam o núcleo do Executivo no país”. A perspectiva, na análise do governador, é que todos os presentes no encontro aceitem os pactos propostos e passem a se empenhar para colocar em prática os programas. O prefeito de Salvador, ACM Neto, no entanto, preferiu não comentar a reunião.

“O chamamento da presidenta foi atendido e todos vieram compartilhar desse momento de cidadania. A reação da classe política foi dada e agora esperamos que também o Congresso Nacional atenda o clamor das ruas”, defendeu o chefe do Executivo baiano. Para ele, o ponto primordial do encontro, que acabou dominando as discussões, foi a reforma política, que acabou se tornando prioritária. Segundo Wagner, a reforma política ataca não apenas essa área específica, mas também outros pontos reivindicados pelas mobilizações populares, como o combate à corrupção. “Os cinco pactos vão discutir pontos importantes para o Brasil”, reitera o governador.

De acordo com o titular do Palácio de Ondina, a partir da reunião dessa segunda-feira (24/6) serão criados grupos de trabalho para analisar detalhadamente cada um dos pactos sugeridos pela presidente Dilma, formados pelos representantes dos governos estaduais e das capitais brasileiras. Wagner ainda reiterou sua abertura para dialogar com os movimentos sociais que organizam manifestações na Bahia – além de Salvador, outras cidades do interior do estado também tiveram mobilizações, a maior parte delas pacífica.

Segundo o governador, é necessária a manutenção do espaço para a conversa entre os representantes do poder público e a sociedade. “Agora protesto não precisa destruir a cidade. É um desafio para os movimentos evitar que essas mobilizações atrapalhem o andamento das cidades”, pondera o líder do Executivo baiano.

Procurado pela reportagem, o prefeito ACM Neto não foi localizado para comentar o encontro dos governadores e prefeitos com a presidente Dilma. Segundo a assessoria do prefeito, o posicionamento oficial do chefe do Executivo soteropolitano será emitido apenas hoje, após conversas dele com outras lideranças de partidos oposicionistas.

*Publicada originalmente na Tribuna da Bahia de 25 de junho de 2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s