Reajuste de servidores começa a tensionar relações com a prefeitura

Realizando a primeira rodada de negociações com os servidores públicos na última segunda-feira, a Prefeitura de Salvador deve enfrentar um retesamento nas relações com o funcionalismo público municipal caso não formalize uma proposta de reajuste salarial. O alerta vem do coordenador administrativo do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador (Sindseps), Everaldo Braga, que participou do encontro com representantes dos servidores e o secretário de Gestão, Alexandre Pauperio. “Entregamos a pauta em 08 de abril e a primeira reunião aconteceu apenas no dia 06, após a data-base dos servidores públicos municipais”, reclamou o sindicalista.

“No momento, a Prefeitura vive uma situação difícil, de austeridade, fazendo um esforço grande para honrar os pagamentos atuais, inclusive alguns assumidos ainda da gestão anterior. É importante deixar claro que não podemos assumir compromissos que estejam além da capacidade dos cofres públicos municipais. Por isso, temos de pensar numa perspectiva de longo prazo, e não com o intuito de tentar resolver todos os problemas em quatro meses”, argumentou Pauperio.

O titular da gestão cita ainda que as negociações na esfera estadual se arrastaram por quase cinco meses antes de serem concluídas. “É legítimo o direito dos servidores de reivindicar e é também legítimo o direito da Prefeitura de mostrar as suas dificuldades financeiras e pedir compreensão e paciência aos seus colaboradores”, avalia o titular de Gestão da prefeitura.

Apesar do pedido de paciência de Pauperio, Braga rechaça o argumento que a prefeitura passa por dificuldades financeiras. “Nós não fizemos essas mazelas com o dinheiro público, então não podemos pagar essa conta. Não estamos brigando só por salário, mas por melhores condições de trabalho. Estamos pedindo 20% de reajuste, plano de saúde e a aprovação imediata do plano de cargos e salários”, indicou o representante sindical. Para ele, o “0% de reajuste envergonha os servidores”. “Estamos próximos da Copa das Confederações em Salvador e imagine o que acontece se os servidores estiverem em greve?”, ameaça Braga.

A próxima rodada de negociações acontece na sexta-feira (10), às 10h, na sede da secretaria. A expectativa é, segundo o sindicalista, que a prefeitura aceite as reivindicações dos servidores para evitar a deflagração de uma greve. “Teremos uma nova assembleia na sexta, no mesmo horário da mesa de negociações. A depender do resultado da reunião com o secretário, os servidores vão tomar a decisão ali”, avisou o representante do Sindseps.

“A cidade precisa avançar, os servidores são fundamentais nesse processo e qualquer incremento de gastos agora precisa ser avaliado com muito cuidado, critério e responsabilidade. Nossa vontade é valorizar cada vez mais os servidores, mas não podemos fazer tudo da noite para o dia. É preciso um pouco de paciência diante da situação financeira da Prefeitura no início de uma nova gestão”, ponderou o secretário.

*Publicada originalmente na Tribuna da Bahia de 08 de maio de 2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s