Câmara dá ultimato e vota as contas de João hoje

O clima promete esquentar na Câmara de Vereadores de Salvador caso haja algum esforço extra para adiar a votação das contas do exercício 2010 do ex-prefeito João Henrique. Calejado com a pressão da imprensa e da população, o presidente do Legislativo soteropolitano, Paulo Câmara (PSDB), deu um ultimato aos demais companheiros e reiterou que não deve passar desta quarta-feira (17/4) a apreciação dos documentos, que aguardam por decisão da Casa desde março do ano passado. “Quero deixar bem claro naquela Casa: eu, enquanto presidente, não voto mais nada a não ser as contas do ex-prefeito João Henrique. Isso é uma decisão minha porque já está me constrangendo, e isso é uma coisa que já me angustia”, assegurou.

A posição de Câmara é conhecida publicamente desde a votação das contas do exercício 2009, em dezembro de 2012, que manteve a rejeição apontada pelo Tribunal de Contas dos Municípios e pela Comissão de Orçamentos, Finanças e Fiscalização. O tucano apontou pela manutenção dos pareceres contrários à aprovação e garantiu que não mudou de opinião. “Eu, vereador Paulo Câmara, votarei pela rejeição das contas do ex-prefeito João Henrique”, completou. Segundo o gestor da Casa, a reflexão é sobre o preço “altíssimo” pago com a postergação da votação.

As contas de João Henrique de 2010 estão prontas para votação desde a emissão do parecer da comissão de Orçamento e Finanças, em março de 2012. A definição para a apreciação aconteceu antes mesmo das contas do exercício 2009, já analisados e rejeitados pela Câmara. Com o começo da nova legislatura, a pressão foi renovada e, a cada dia, ganha mais fôlego a partir do desgaste da imagem institucional e dos próprios membros do Legislativo soteropolitano. Antes da maioria do colégio de líderes optar pela votação hoje, duas outras datas, 27 de março e 03 de abril, foram discutidas, porém não houve entendimento para a definição do imbróglio, que completou aniversário.

O tema é tão espinhoso que, até quando lideranças de governo e oposição possuem posições compartilhadas, há certa tensão na relação. Foi o que transpareceu ontem num debate entre os líderes da maioria, Joceval Rodrigues (PPS), e da minoria, Gilmar Santiago (PT), realizado na rádio Tudo FM. “É preciso dar nomes. DEM, PV e PTN manobraram para impedir a votação. Os vereadores Kiki Bispo e Geraldo Júnior [ambos do PTN] se colocam na vanguarda desse movimento. O problema é que a bancada do governo age de forma dúbia. Enquanto o líder defende a votação, os outros puxam o freio de mão”, provocou o petista. A resposta de Joceval foi com o argumento que, no dia 27 de março, quando a matéria chegou a constar na pauta, nem mesmo os vereadores da oposição estiveram presentes na sessão. “Ninguém pode amanhã furar o que foi acordado pelo colégio de líderes. Que cada um vote com a sua consciência, mas tem que ser votado amanhã”, apontou o governista.

*Publicada originalmente na Tribuna da Bahia de 17 de abril de 2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s