José Rocha lança o nome de César Borges para a sucessão de Wagner

Mesmo que timidamente, o PR entrou na disputa pelo governo do estado nessa segunda-feira (11/3), quando o deputado federal José Rocha, vice-presidente da sigla na Bahia, sugeriu que há o indicativo nacional para que a legenda alce o ex-senador e ex-governador César Borges como candidato à sucessão de Jaques Wagner. A afirmação apareceu em meio a uma entrevista a Emmerson José, na rádio CBN, quando Rocha revelou o interesse do PR nacional em ter candidato a governador na Bahia. “Tenho conversado com Alfredo Nascimento, presidente do nosso partido, e também com o Valdemar Costa Neto e há um interesse do PR nacional que o ex-senador César Borges seja candidato até para reforçar a nossa condição partidária em nosso estado”, afirmou Rocha.

Apesar de ter o nome discutido no plano nacional, Borges ainda não participa ativamente do debate. “O ex-senador ainda não se posicionou em relação às decisões da cúpula do partido”, tangenciou o parlamentar. Procurado pela reportagem, César Borges não foi localizado para comentar a situação, porém, segundo o secretário estadual do partido, Ismael Medeiros, a discussão em torno do nome do atual vice-presidente de Governo do Banco do Brasil ainda não chegou ao nível estadual.

“Existe o interesse nacional para que o partido tenha candidatos em todos os estados. Em política, nesse momento, é hora de discutir, analisar e avaliar os cenários”, sugeriu. Para ele, é natural que o nome de Borges seja citado. “O partido tem um nome forte estadual, que é o do ex-senador. Nada mais justo do que o partido participar da discussão. Agora, como essa afirmação partiu do deputado José Rocha, seria bom conversar com ele”, completou, evitando falar como integrante da executiva na Bahia.

Recém chegado à base aliada do governador Jaques Wagner, a eventual pré-candidatura do PR ao governo mostra o interesse da sigla em lutar por espaço na chapa majoritária de 2014, que terá apenas três vagas – governador, vice e senador. Em 2010, Borges foi candidato ao Senado na chapa liderado pelo ainda oposicionista Geddel Vieira Lima. Dois anos depois, o republicano embarcou no projeto petista, assumindo a vice-presidência do Banco do Brasil e causando um racha dentro do PR – os deputados estaduais Sandro Régis e Elmar Nascimento mantêm o discurso feroz de oposição e o deputado federal licenciado Maurício Trindade vive em atrito com Borges.

Durante a entrevista, Rocha ainda declarou que vai haver um encontro entre Wagner e Borges para avaliar a parceria do PR com o governo do estado. “Nós estamos aguardando uma audiência entre César Borges e o governador Jaques Wagner para dar o start a esse relacionamento. Nós temos do lado do governo quatro ou cinco candidatos disputando indicação, temos Otto correndo lateralmente e na oposição estamos nesse aguardo. É um momento ainda de expectativa e dependendo dessa conversa com o governador é que nós vamos tomar essa decisão”, avaliou.

*Publicada originalmente na Tribuna da Bahia de 12 de março de 2012

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s