Movimento migratório agita fim de semana na política

Ficou para um sábado a definição dos filiados aos partidos políticos que desejam disputar a eleição de 2014. A dança das cadeiras, que agitou os bastidores nas últimas semanas, chega ao seu último dia com sinais de definição clara e outros nem tão visíveis assim. Nos instantes finais, líderes partidários, principalmente dos dois recém-criados Pros e Solidariedade, buscam angariar nomes de projeção da cena política, aproveitando a janela criada pela legislação.

Até o fechamento desta edição, apenas na Câmara de Salvador, eram certas as mudanças de Ana Rita Tavares, do PV para o Pros, e Palhinha, do PP para o DEM. Nos bastidores aparecem ainda a troca de Cátia Rodrigues, do PMN para o Pros, e as saídas de David Rios do PSD e Marcell Moraes do PV. Entre os já definidos, Ana Rita preferiu não comentar o abandono ao PV – “na segunda-feira eu vou me manifestar oficialmente”. Por partir para um novo partido, no entanto, dificilmente haverá o questionamento judicial da migração dela.

Situação similar pode não acontecer com Palhinha. Eleito pelo PP, ele optou por se filiar a uma legenda pré-existente, o DEM, após estreitar laços com Pros e Solidariedade. Segundo informações que chegaram à Tribuna, o argumento para a saída se tornar legal foi à falta de apoio da legenda no empreendimento futuro dele, uma tentativa de chegar à Assembleia ou a Câmara. Procurado, Palhinha não foi localizado para comentar a mudança.

Apesar de não anunciar ainda qual seu destino, o vereador David Rios obteve a liberação do PSD. A informação foi confirmada pelo presidente estadual da sigla, Otto Alencar, que o alertou. “Aconselhei que ele fosse para uma sigla nova. O que me causa surpresa nesses movimentos é os políticos estarem mudando para partidos já existentes”, sinalizou Otto, que perdeu a deputada estadual Maria Luiza Orge para o PSC, casa original da parlamentar. Nos corredores, quatro legendas aparecem como destinos possíveis do vereador, PPS, DEM, PTN e Solidariedade.

O Solidariedade, por enquanto, contabiliza apenas a atração do vereador Geraldo Jr. (ex-PTN). Pode ampliar o número de cadeiras na Câmara com a eventual filiação dos vereadores Marcell Moraes e Alan Castro – este último ainda menos tangível que Moraes. Em conversa com a Tribuna, o ainda verde delimitou o prazo do meio-dia do sábado para chegar a uma definição. “Estou analisando tudo”, afirmou Moraes.

No âmbito estadual, além das filiações dos atuais detentores de cadeira na Assembleia, dois suplentes também trocaram de camisa. Uziel Bueno se desfiliou do PTN e foi para o PV, enquanto Capitão Fábio, suplente do PRP, registrou sua filiação ao PDT. A dança das legendas, prestes a chegar a um capítulo final para postulantes a cargos em 2014, tem data para acabar. E, no domingo – ou na segunda -, quem tem casa vai para as ruas na luta por votos em 2014.

*Publicada originalmente na Tribuna da Bahia de 05 e 06 de outubro de 2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: